Monte Alto: Indústria lidera saldo de empregos em alta: 565%

Dado é comparativo entre janeiro e julho dos anos de 2020 e 2021; de saldo negativo, Monte Alto vai a 716 empregos gerados – Prefeitura e Câmara querem mais

 

Os reflexos da pandemia fizeram-se sentir em todo planeta. Com potencial industrial predominante, o setor, já no segundo semestre de 2020, revertia a tendência negativa de geração de empregos.

Assim traz o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Trata-se do dispositivo legal utilizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego para acompanhar a situação da mão de obra formal no Brasil, a fim de levantar dados de geração de emprego e desemprego no país.

Em 2021, o saldo, até julho, se mostra bastante positivo. Se, no ano passado, no mesmo período (janeiro a julho), tivemos queda em postos ocupados de 154, nesse ano o saldo é positivo: 716 empregos.

A indústria puxa a fila, com 486 postos ocupados (67,8%); o comércio com mais 121 (16,9%) e o setor de serviços com 90 vagas (12,5%). No ano passado, o único setor que empregou mais que demitiu, até julho havia sido o de serviços.

No setor de empregos públicos, são 5 funcionários a menos no comparativo.

 

Jovem

O público mais jovem é o mais empregado, sobretudo com curso técnico. Do total de empregados, 328 estão na faixa etária de 18 a 24 anos (45,8%). 579 possuem o Ensino Médio Completo (80,8%).

Cruzando essa faixa com os setores que mais empregam, é possível mapear que, desses jovens empregados quase que a totalidade cursou ou cursa o ensino técnico.

Afinal, setores como “reparo e manutenção” e “serviços industriais”, geralmente com trabalhadores de nível técnico, representam mais de 60% dos empregados em 2021. O levantamento ainda traz mais 110 pessoas como “Técnicas de Ensino Médio” (15% do total empregado).

 

Mais

De olho nesse público, Monte Alto corre contra o tempo para garantir importante expansão para o ensino técnico local, bem como na busca de áreas para ampliação de indústrias.

Além da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o da Câmara Municipal e ACIMA tem sido essencial nesse processo.

“O desafio da formação do trabalhador e da geração de empregos é enorme. São grandes projetos, de muitos recursos. Por isso, o apoio dos vereadores com ideias e força política, além da ACIMA e de outros parceiros da sociedade civil tem sido muito importante”, destaca a prefeita Maria Helena Rettondini.

 

DADOS

Saldo empregos

Janeiro a julho de 2020

– 154 empregos

2.276 admitidos x 2.430 demitidos

 

Janeiro a julho de 2021

+ 716 empregos

3.732 admitidos x 3.016 demitidos

 

 

579 admitidos com Ensino Médio Completo (80,8%)

328 de 18 a 24 anos (45,8%)

175 até 17 anos (24,4%)

 

 

486 na Indústria (67,8%)

121 no Comércio (16,9%)

90 no Serviços (12,5%)