Secretaria de Saúde convoca montealtenses a se prevenirem contra a gripe

Até o momento, menos da metade do público-alvo foi vacinado na campanha de 2017.

A Prefeitura de Monte Alto, por meio da Secretaria de Saúde e da Vigilância Epidemiológica, realizou a Campanha de Vacinação contra a Gripe – Influenza, que chegou à sua 20ª edição.

Anualmente, com a chegada do frio, o Ministério da Saúde realiza em todo o território nacional a campanha, fornecendo a vacina que é composta pelos tipos virais H1N1, H3N2 e Influenza B.

O vírus da gripe passa por mutações frequentes. Por isso, todo ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) faz uma previsão de quais serão os vírus Influenza que devem circular no inverno e a ANVISA determina qual deve ser a composição da vacina daquele ano, informação usada pelos laboratórios que produzem a vacina no Brasil. O processo de desenvolvimento da vacina é complexo e leva, em média, 6 meses. Portanto, quem já foi vacinado no ano passado, deverá receber outra dose este ano.

Até o momento, Monte Alto vacinou menos de 50% do público-alvo, pertencente aos grupos prioritários e determinados pelo Ministério da Saúde. Isso ocasiona uma exposição aos agravos da doença, segundo os profissionais de saúde.

Doença – A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças de 6 meses até menores de 5 anos de idade, gestantes, puérperas, professores de escolas públicas e privadas, profissionais de saúde, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

Dados – Em 2017, até 22.04, ocorreram 537 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), com 42 confirmações para influenza A (H3N2) e 4 para influenza B. Em 2016, foram 439 casos de SRAG, com 56 confirmações para influenza A (H1N1) e 2 para influenza B. Em relação aos óbitos, houve 1 para influenza A (H3N2) neste ano. Em 2016, foram 15 para influenza A(H1N1), além de mais 1 por influenza A não subtipada.

Caso o munícipe pertença aos grupos prioritários e não tenha ainda recebido a vacina, é recomendável que procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência, levando o cartão de vacinação. A vacina é totalmente gratuita e não faz mal à saúde.

Compartilhe